PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA

Bem Vindo à PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA
Boa tarde, Domingo, 22 de Outubro de 2017

PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA
VOCÊ ESTÁ EM: HOME / REUNIÃO DE PAIS /

Reunião com as famílias dos catequisandos / crismandos

ACOLHIDA
Animador: Sejam bem-vindos a nossa reunião que tem como proposta refletirmos aspectos importantes: a Família como Igreja doméstica e caminho para o discipulado, seu papel na catequese e na formação religiosa dos nossos educandos na fé. Com alegria, queremos iniciar esse momento rezando juntos...

Aquele que nos chamou, aquele que nos chamou, é fiel, é fiel, fiel é aquele que nos chamou...

ORAÇÃO INICIAL
A: Queridas famílias, nós pertencemos a Jesus Cristo. Nossa vida foi mergulhada na vida de Jesus pelo batismo. Recebemos o dom do Espírito Santo para permaneceremos unidos a Jesus e renovamos essa união em Jesus Cristo e na Igreja, pela Eucaristia. Fiquemos em silêncio e rezemos a Deus em nosso coração peçamos que nossa vida continue unida à vida do Senhor e de seu Evangelho, para que nosso ministério seja fecundo.
A: Façamos sobre a testa o sinal-da-cruz, compromisso do cristão com a ressurreição de Jesus...
A: Façamos nos ouvidos o sinal-da-cruz, para sermos atentos à Palavra de Deus, a Sua voz que nos chama ao discipulado...
A: Façamos nos olhos o sinal-da-cruz, para aprendermos a ver as maravilhas de Deus na simplicidade...
A: Façamos na boca o sinal-da-cruz, para que anunciemos a Palavra de Deus e sejamos vozes proféticas na realidade...
A: Façamos nos ombros o sinal-da-cruz, para que possamos carregar o jugo de Cristo, que é suave, mas comprometedor, que nos chama a sermos Igreja ministerial.

A: A Paz esteja conosco!
T: O amor de Cristo nos reúne!

L1: É na família que acontecem os primeiros passos de iniciação à vida cristã, são os primeiros ensaios no colo da mãe, na oração, na convivência que desperta para a presença de Deus.
L2: No aconchego seguro do lar, o primeiro anúncio se traduz pelos gestos de amor, perdão, diálogo, compreensão, respeito, ética e segurança.
L3: Portanto, a primeira experiência de comunhão e vida fraterna se dá na família, experiência que se prolonga na comunidade de fé, a Igreja, em que as pessoas são preparadas e iniciadas na vida cristã através do Batismo, Crisma e Eucaristia.
T: Canto: Ilumina, Ilumina, nossos pais, nossos filhos e filhas. Ilumina, ilumina, cada passo das nossas famílias!

L1: A família é fonte de testemunho para a catequese. Os pais recebem a graça e a responsabilidade de educar os filhos e iniciá-los na fé, transmitindo os valores cristãos em sua regra de ouro: “Amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a si mesmo”.
L2: Na família a Palavra de Deus está viva e frutifica. A pessoa que amadurece na fé educada por estes sinais de comunhão se realiza no relacionamento e no amor, no seguimento, na comunidade fraterna.
L3: Seguir a Jesus é juntar-se, fraternalmente, aos outros discípulos. Assim a fé, nascida na comunidade da Igreja testemunhada pela família, renova permanentemente a própria comunidade a partir da sua raiz profunda, a comunhão com Deus, e gera novas comunidades.
T: Canto: Ilumina, Ilumina, nossos pais, nossos filhos e filhas. Ilumina, ilumina, cada passo das nossas famílias!

Aclamação ao Evangelho
Canto: Palavra de Salvação, somente o céu tem pra dar! Por isso meu coração se abre para escutar


Leitura do Evangelho de Mateus 5, 13-16
Silêncio/ Meditação/ Partilha

APROFUNDAMENTO
A: Somos chamados a nos comprometer! Conforme nos lembra o Diretório Nacional de Catequese, Família deve dar sabor, ser sinal de luz e crescimento dos valores do Reino de Deus na sociedade

FAMÍLIA
L1: Os pais são os primeiros catequistas de seus filhos e mesmo diante dos desafios atuais da família, são chamados a ser “Igreja Doméstica” e “ninho de fé”.
L2: Espera-se que seja no cotidiano do lar, na harmonia e aconchego, mas também nos limites e fracassos, que os filhos experimentem a alegria da proximidade de Deus através dos pais.
T: A experiência cristã positiva, vivida no ambiente familiar é uma marca decisiva para a vida do cristão. A própria vida familiar deve transformar-se num itinerário da educação da fé e numa escola de vida cristã.
L1: Para exercer bem a responsabilidade cristã, como educadora da fé, a família precisa: ser santuário da vida, em que os filhos façam a experiência do amor de Deus, da fé, da solidariedade.
L2: A família precisa desenvolver um clima propício ao diálogo, ao perdão, a oração familiar e a participação na comunidade cristã.
T: O futuro da evangelização depende em grande parte da família como sendo Igreja Doméstica.
L1: Não pode esquecer-se de valorizar os eventos, festas e celebrações familiares, enriquecendo-as com conteúdo cristão, e também aproveitar as oportunidades de formação para que a vida da família seja uma escola da fé, transformadora da realidade.
L2: A vida familiar é como um horizonte que dá direção ao caminhar de fé e a catequese acredita na família como ambiente próprio para o desenvolvimento humano e religioso da criança, do adolescente, do jovem e do adulto.
T: A família deve assumir a missão de participar, colaborar e celebrar com a catequese e a comunidade paroquial.

Oração da Família
Abençoa, Senhor, as famílias! amém! abençoa, Senhor, a minha também. (bis)


REFLEXÃO
1) As famílias de nossa comunidade participam da catequese e são presença de fé na vida dos filhos?
2) Como as famílias podem tornar-se comprometidas com a evangelização?
3) O que esperamos de nossas famílias?
4) Vamos conversar um pouco...

ORAÇÃO  FINAL


A: Vamos rezar por nossas famílias e comunidades. A cada invocação respondamos: “Senhor, escutai nossa prece”

L1: Pelos catequistas, chamados a serem discípulos-missionários, portadores da Boa Notícia, rezemos.
L2: Pelas famílias, testemunhas da vivência cristã, rezemos.
L1: Pelos nossos jovens, chamados a vida comunitária, rezemos.
L2: Pelos que defendem a vida ameaçada e garantem a segurança de nossas famílias, rezemos.
L1: Pelas comunidades que são escolas de formação para o discipulado e a missão,rezemos.

A: Rezemos com a motivação comunitária de sermos filhos amados de Deus a oração que nos faz irmãos. Pai Nosso...

L1:
Em Maria entendemos o processo de compromisso e dedicação na instauração do Reino de Deus. Vamos nos consagrar a mãe Maria para que sua experiência nos impulsione a sermos fieis em nosso compromisso de família e de comunidade.

Consagração a Nossa Senhora
Oh, Minha Senhora e também minha mãe
Eu me ofereço, inteiramente, todo a vós.
E em prova da minha devoção, eu hoje vos dou meu coração.
Consagro a vós meus olhos, meus ouvidos, minha boca
Tudo o que sou, desejo que a vós pertença
Incomparável mãe, guardai-me e defendei-me,
Como filho e propriedade vossa, Amém
Como filho e propriedade vossa, Amém.


BÊNÇÃO FINAL
A - O Deus uno e trino, que nos criou para viver em comunidade, nos ajude sempre a cumprir o mandamento do amor. Abençoe-nos o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Amém!

Pe Roberto Bocalete – Administrador Paroquial
Pastoral Bíblico-Catequética

"Catequese: caminho para o discipulado!"